terça-feira, 30 de novembro de 2010

Análise de um PAN: "meu namorado não gosta de mim"

Neste post, analiso outro pensamento automático negativo a fim de verificar o que é real e o que não é. Lembre-se de que o conteúdo deste análise foi inventado por mim e serve, apenas, para que se tenha um exemplo de como avaliar, na prática, um PAN.
 
PAN: "meu namorado não gosta de mim"

Emoção causada pelo PAN: tristeza

Reação ao PAN: não ser carinhosa, brigar, não querer conversar ou ficar junto

O filtro começa a acontecer quando olhamos para os fatos (não para os achismos):

1) Quais são os fatos que me levam a acreditar que meu namorado não gosta de mim?- ele não me liga muitas vezes
- ele não diz que me ama com frequência
- ele não me dá flores/chocolates nunca
- ele não gosta de ficar muito tempo no telefone

2) Quais são os fatos que me mostram que ele gosta de mim?- ele brinca comigo e nós damos risadas juntos
- ele sempre retorna as minhas ligações
- ele sai comigo na maioria das vezes em que eu convido
- ele me diz o que fazer quando estou com algum problema
- ele me apresentou sua família e amigos

3) Qual a conclusão que posso tirar destes fatos?
Meu namorado não faz todas as coisas que eu acho que uma pessoa que gosta faria, mas ele faz outras que demonstram que ele se importa comigo e gosta de me ter por perto. Pode ser, então, que a maneira como ele demonstra seu amor seja diferente do que eu esperava, mas isso não quer dizer que ele não goste de mim.


O que parece mais realista: o PAN ou a conclusão?
Na minha opinião, é a conclusão. Afinal, me parece que, para se chegar à ideia "vendida" pelo PAN, é preciso desconsiderar tudo o que o namorado faz e dar um valor muito, muito maior ao que ele não faz. Ou seja, dois pesos e duas medidas. Isso é justo???
Ana Carolina Diethelm Kley
Para me adicionar no Facebook: Ana Kley
Para me adicionar no Twitter: @AnaDKley
Related Posts with Thumbnails