quinta-feira, 31 de julho de 2014

Sabotagem: como perceber?

No post anterior, descrevi alguns tipos de autossabotagem e já dei algumas orientações sobre o que pode ser feito.
 
Hoje, descreverei a partir de que momento é bom suspeitar que haja algum boicote e mais algumas atitudes que podem ser tomadas para neutralizá-lo.
 
Acredito que um dos sinais mais claros de autossatagem é a infelicidade. Pode também ser a sensação de que as coisas na sua vida nunca chegam onde você quer, ou que elas até caminham, mas estacionam e/ou retrocedem. Tem, ainda, aquela sensação de nadar, nadar e morrer na praia. Seja lá a descrição que se dê, o fato é que a insatisfação está sempre presente. 
 
Mas, aí, você pode me dizer: "Ana, existem coisas que nos incomodam, nos deixam infelizes e que não dependem de nós". E, claro, eu concordo com isso. Porém, aqui, considero como boicote tudo o que você faz ou deixa de fazer que impede ou retarda a sua realização pessoal. Ficou melhor assim?
 
Levando em conta que já sabemos identificar sinais de fumaça, pensemos no que fazer com esta informação. Aliás, eu diria que o passo seguinte é obter mais informação e, pra isso, nada melhor do que colocar atenção em você: o que você pensa, sente e faz que colabora para que as coisas comecem a degringolar?
 
Identificou? Ótimo! Agora, você pode pensar em como pensar e agir diferente numa próxima vez. Como você pode se lembrar disso na hora "H"? Clique aqui para uma sugestão.
 
Outra coisa que pode ajudar a mudar de comportamento é fazer o seguinte exercício: escreva numa coluna os pontos positivos de pensar e agir diferente (não se sabotar) e, numa outra coluna, os pontos negativos de se sabotar. Deixe estas informações num local visível pra você e leia várias vezes, principalmente antes de enfrentar a situação em que você costuma se boicotar.
 
Você também pode conversar com alguém de confiança sobre o que você faz (ou suspeita fazer) e, juntos, refletirem sobre outras opções de ação.
 
Se você já tiver tentado de tudo e ainda não conseguiu chegar onde queria, você ainda pode contar com ajuda profissional de um psicólogo ou coach.
 
Enfraquecer atitudes que nos prejudicam e que fazemos de maneira automática demanda tempo e energia, mas conseguirmos a liberdade de seguir adiante com mais satisfação é algo que faz valer a pena todo o investimento.
 
Ana Carolina Diethelm Kley
Para me adicionar no Twitter: @AnaDKley
Related Posts with Thumbnails