quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Pense pequeno para agir grande

Muitas vezes, ouço as pessoas falando: "é preciso pensar grande!". E essa ideia, em geral, é vista como sinal de que se quer crescer na vida, prosperar, evoluir.
 
Este post serve para sugerir outra coisa: comece pensando pequeno!
 
E, antes que eu seja vista como revolucionária, deixe-me colocar minhas razões.
 
Quando começamos pensando grande pode ocorrer um fenônemo muito comum: a ideia nos deixa empolgados naquele momento, até motivados e mais esperançosos mas, quando chega a hora de colocar a mão na massa e tirar aquela grande ideia do papel, ficamos inseguros, a animação se enfraquece e começamos a adiar e adiar e adiar. Aí, o tempo passa, esse processo todo se repete (empolgação a curto prazo, insegurança e procrastinação a médio prazo) e o que nos resta são resultados insatisfatórios, frutos da não ação.
 
Na realidade, há outras consequências comuns como a frustração e o desânimo (leia-se pouca ou falta de esperança num futuro melhor). E acaba ficando realmente difícil ter disposição para fazer qualquer coisa.
 
Antes de comprar a ideia "eu não consigo ter o que eu quero/ não consigo manter os resultados que eu almejo", comece a pensar pequeno o que, em outras palavras, significa focar na coisa mais simples que se possa fazer (naquele dia ou naquela semana) e que tenha relação com seu objetivo.
 
Vamos aos exemplos:
Objetivo maior: quero organizar minha casa
Objetivo pequeno para esta semana: arrumar uma parte do armário do banheiro
 
Objetivo maior: quero melhorar minha alimentação
Objetivo pequeno para esta semana: pesquisar uma receita para comer à noite que seja gostosa, saudável e prática (atenção: só pesquisar)
 
Objetivo maior: me reaproximar dos meus amigos
Objetivo pequeno: fazer uma lista das pessoas que eu quero ter mais próximas ou mandar um e-mail para alguém dessa lista (supondo que ela já exista)
 
Uma ação é considerada pequena quando pensar nela é algo leve pra você porque ela soa realizável, algo que está ao seu alcance dentro do tempo que você tem disponível. Outro parâmetro essencial é que você se sinta motivado a agir e realmente o faça, sem procrastinar. Se você percebeu que está adiando, uma das razões pode ser que a atividade parecia pequena, mas não era e, neste caso, é hora de parar e fatiar a ação em porções ainda menores para, então, agir.
 
No final de cada semana, é hora de verificar como foram os pequenos objetivos e, baseado neles, estipular novos para a semana que começará. E, de pequeno em pequeno, ao longo do tempo, você poderá construir seu grande objetivo. Afinal, o que fará diferença é a sua persistência, é o processo e, para que ele ocorra, é preciso se manter motivado e fazendo, o que se consegue ao estabelecer objetivos "pequenos" e constantes.
 
A diferença entre uma coisa e outra só se percebe testando. Se seus resultados não tem sido satisfatórios até então, pode ser que isso ajude. E só tem um jeito de saber, não é?
 
Você pode experimentar e, se quiser, compartilhar seus resultados aqui pelo blog. Sua experiência pode motivar outras pessoas a pensar e fazer diferente.
 
Ana Carolina Diethelm Kley
Para me adicionar no Twitter: @AnaDKley
Related Posts with Thumbnails