domingo, 21 de março de 2010

“É só um pedaço”

Depois de comermos o que, supostamente, não deveríamos surge a dúvida: “Por que eu fiz isso??” E com a pergunta, pode vir a culpa e pensamentos como “eu sou fraco, não tenho força de vontade”.


Mas o que de fato faz com que você coma um pouco a mais ou se empaturre até sentir-se mal? Muitas coisas podem levar a esse desfecho e, uma delas, são pensamentos pequenos, aparentemente inofensivos como “é só um pedaço”, “é só hoje”, “eu mereço comer isso”, “isso não vai fazer diferença”. Eles passam rápido pelas nossas mentes e nos dão a permissão para comermos aquele pedaço e mais outro e mais outro e mais outro.

Como reagir? O primeiro passo é percebê-los: eles costumam surgir diante da vontade de comer algo que não estava planejado (ou diante de indecisões). O segundo passo é parar e analisar: será que não fará diferença mesmo? Será que é só hoje? De fato eu mereço as coisas boas da vida, mas também mereço atingir minha meta, meus objetivos. O que tem mais importância para mim?

Ter claro onde você quer chegar ao se abster de determinado prazer imediato (como comida, ou o quentinho da sua cama) pode fazer diferença na hora de reagir aos pensamentos permissivos pois, na hora, o lado que tiver mais força ganha, então, que seja aquele que vai, de verdade, te ajudar a chegar onde você quer lá na frente.
Related Posts with Thumbnails