quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Insegurança: você sabe de onde vem?

Meu objetivo neste post não é culpar seus pais. Nem buscar uma encarnação passada onde você era perseguido e/ou fez barbaridades. A meta é ajudar a perceber o que causa (HOJE) a insegurança para que você, ao não ser "possuído" por ela, possa concretizar o que quer (ao invés de deixar as coisas pra lá e ficar frustado depois).

Quando se sentir inseguro diante de um desafio, preste atenção se pela sua cabeça passam frases do tipo "E se eu não der conta?", "Será que eu vou saber fazer isso?", "E se eles perceberem que eu não sou tudo isso (de bom) que eles imaginam?" e derivados. Pode ser que, de início, não seja fácil pegar o que está na sua cabeça mas, com um pouco de treino, fica cada vez mais automático.

Neste processo, é importante não racionalizar o pensamento, ou seja, ao invés de "será que eu vou dar conta?", você traduz para "me sinto indeciso". Não, o que vale é o pensamento em si, como se fosse retirado diretamente de um daqueles balões de pensamento dos quadrinhos. Com essa informação em mãos, partimos para a fase 2, que ocorre quando avaliamos o que pensamos. Mas não vou falar sobre essa outra fase agora (fica pra sexta...).

Hoje, o exercício é captar o que passa pela sua cabeça quando percebe que ficou inseguro diante de alguma situação (o que já é bastante!). Dúvidas? É só escrever.

Ana Carolina Diethelm Kley

anacdkley@hotmail.com
Para me adicionar no Facebook: Ana Kley
Para me adicionar no Twitter: @AnaDKley

Related Posts with Thumbnails