quinta-feira, 5 de julho de 2012

O hábito de pensar "as pessoas não gostam de mim"

Resolvi escrever sobre este assunto depois de ver todos os posts já escritos e a quantidade de vezes que cada um deles tinha sido acessado. Conclusão: aqueles que falavam sobre se sentir rejeitado foram muito, muito lidos (mais do que os que falavam sobre ansiedade).

E por que?

Será que as pessoas são muito rejeitadas ou elas se sentem muito rejeitadas? Por que as duas coisas são diferentes. Aliás, essa diferença é clara pra você?

Quando alguém não te cumprimenta da maneira que você gostaria, pode surgir o pensamento "ele não gosta de mim". Mas a pessoa pode ter outros motivos para ter feito isso como, por exemplo, estar preocupado com algum problema, ou ter acordado de mau humor, entre tantos outros. Neste caso, a pessoa pode se sentir rejeitada (e acreditar nisso de verdade), sem ter sido de fato.

Outro exemplo, é quando uma pessoa te trata mal, só crítica, não se importa com o que você sente e, aí, você pensa "ele não gosta de mim". Baseando-me nos fatos, eu poderia chegar à mesma conclusão, provavelmente. Aí, a rejeição é real. Mas ainda cabe outra pergunta: por que se importar com uma pessoa que te trata tão sem cuidado?

O objetivo deste meu post é propor uma reflexão: você habitualmente se sente rejeitado ou  não aceito? E, na maioria das vezes, essa ideia se mostra verdadeira ou não? 

Fazer essa autoanálise pode ajudar a viver melhor, afinal, se sentir deixado de lado já não é nada agradável, imagine descobrir que passou por todo este sofrimento à toa...

Eu sou absolutamente a favor de evitar dor desnecessária.

Ana Carolina Diethelm Kley
anacdkley@hotmail.com
Para me adicionar no Facebook: Ana Kley
Para me adicionar no Twitter: @AnaDKley


Related Posts with Thumbnails