quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Insegurança: duvide dos seus pensamentos, não de você

A insegurança parece ser um mau da humanidade. Todo mundo, uma hora ou outra, sente isso. Mas, será que estamos falando da mesma coisa?
 
A insegurança à qual me refiro, neste post, tem a ver com a ideia de que você pode não dar conta de alguma tarefa ou desafio. Além disso, ela costuma aparecer quando você se encontra diante de uma oportunidade de crescimento ou uma mudança qualquer. E, aí, dá uma vontade muito grande de fugir da situação ou deixá-la pra depois.
 
Pronto, este é o retrato da insegurança ligada à ideia de que não se é capaz ou competente o suficiente.
 
E perceba se este tipo de ideia aparece hoje aqui, amanhã com outro assunto e, daqui duas semanas, dá as caras de novo, só que dessa vez ligada a uma terceira situação. Se assim for, pode ser que você tenha a tendência a ser inseguro e a duvidar das suas capacidades (é como se fosse um vício mental).
 
Se este for o caso, saiba que isso pode ser tratado e que você pode se sentir mais seguro, caso esteja disposto a olhar para seus pensamentos e a duvidar deles (e não de você), como você pode ver neste exemplo.
 
Sentir-se melhor e confiar mais nas suas capacidades é um processo que pode começar duvidando de pensamentos negativos, investindo em quaisquer ações nas quais você sinta prazer e tenha, também, a sensação de domínio e, além disso, colocando tempo e atenção em tarefas que o ajudem a desenvolver suas habilidades. Tudo isso é muito diferente de ficar focado apenas no pensamento que causa ansiedade e paralisia, não é?
 
Então, se o processo é diferente, o resultado deve ser também... vale a pena tentar.
 
Ana Carolina Diethelm Kley
Para me adicionar no Facebook: Ana Kley
Para me adicionar no Twitter: @AnaDKley
 
Related Posts with Thumbnails