sábado, 13 de março de 2010

Não deixe o “E se...” atrapalhar seu dia

O pensamento do tipo “E se...” pode deixar muitos estragos por onde passar

Diante de uma situação que o angustia, provavelmente você já se pegou pensando “e se isso não der certo?”. É um hábito comum refletir sobre as situações para perceber antes se algo pode dar errado e, assim, evitar problemas futuros.

O pensamento “E se....”, por outro lado, parece ser uma maneira de analisar a situação PARA resolvê-la mas, na prática, não é. No primeiro caso, analisamos a questão, encontramos alguma saída e a colocamos em prática. Fim. Quando o “e se...” se instala, o cenário é bem diferente: surgem perguntas e mais perguntas que vão se ligando umas às outras, não têm uma resposta clara e, ao invés de nos mostrar um caminho a seguir, elas apenas parecem indicar que o fundo do poço está bem próximo, trazendo desespero e desânimo.

O primeiro passo para se livrar dos efeitos nocivos do “E se” é percebê-lo: o que passa pela sua cabeça quando você fica mais angustiado? Se forem perguntas sem resposta fique atento e não acredite prontamente na idéia que elas querem vender. Vale mais a pena, analisar antes de pagar para ver.
Related Posts with Thumbnails