sexta-feira, 23 de julho de 2010

Como perceber seus pensamentos automáticos

Para identificá-los,  perceba o momento em que ocorrem  variações no seu humor (se você estava tranquilo e, "de repente" ficou com medo, ou ansioso, ou triste, ou com raiva) e  o que você estava fazendo antes disso acontecer (ex: estava conversando com  minha gerente quando ela disse que precisava corrigir algo no meu projeto; nesse momento,  percebi que fiquei preocupado e, antes, estava tranquilo).

Faça, então, a pergunta de ouro: "o que estava passando pela minha cabeça antes de ficar preocupado? (variações: "o que passou pela minha cabeça ao ouvir que a gerente queria corrigir meu projeto?", "o que acho que poderia acontecer caso ela o corrigisse?", "O que acho que ela vai pensar sobre mim").

Alguns exemplos de pensamentos automáticos: "E se eu não conseguir corrigir como ela quer?", "Será que vai dar certo?", "E se ela pensar que eu não dou conta?" entre outros.

Com esta primeira explicação, já dá pra começar a praticar. Mãos à obra!

3 comentários:

  1. Oi Ana!
    sabe fiquei com uma duvida:
    será que pensamentos automáticos são bons?
    ou melhor, até onde eles são bons?

    Obrigado!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Fauler. Pensamentos automáticos "ruins" são aqueles que parecem mas não são verdadeiros, não equivalem aos fatos. Então, para saber se o que passa pela sua cabeça é útil ou não, é preciso parar e avaliar a idéia: ela é baseada nos fatos? ou nos achismos? É uma conclusão confiável? Por que sim? Por que não? Fazendo este filtro fica mais fácil julgar um pensamento automático.

    um abraço para você

    ResponderExcluir
  3. Oba =)
    Agora sim entendi!

    Obrigado!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails