segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Como ir do céu ao inferno em segundos

O famoso "ou é tudo ou é nada" atrapalha muitas coisas, entre elas o que achamos de nós mesmos, a pró-atividade (ou a falta dela) e a percepção do quanto somos amados e queridos. Ele pode nos ajudar a fazer uma viagem do céu ao inferno num piscar de olhos.

Mas vamos ao tudo ou nada na prática.

Ou seu trabalho está excepcional, absolutamente acima de todas as expectativas, totalmente surpreendente e eficaz (80), ou não presta para nada e é um lixo total (8). Sei que isso pode ter ficado um pouco exagerado (embora a sensação seja essa mesma), então, vou mostrar um outro lado: ou é extraordinário (além das expectativas), ou é normal (aqui, leia-se ordinário, sem sal, qualquer um faz, não fiz mais que minha obrigação, sem valor real algum).

Você já parou para definir as características de um trabalho nota 1.000? Provavelmente, será algo digno do trabalho árduo de vários Nóbeis juntos e olhe lá (se isso não for ultrapassado em qualidade e eficiência). Ou seja, uma coisa bem perfeccionista, fora da capacidade real de qualquer ser humano (embora, na hora em que passa pela nossa cabeça, pareça bem possível).

E se cobrar algo que está fora da capacidade humana é algo fadado à frustração. Não tem jeito. Exigir o que está além do razoável pode ter o efeito contrário do que se espera.

Ana Carolina Diethelm Kley
Para me adicionar no Facebook: Ana Kley
Para me adicionar no Twitter: @AnaDKley


Related Posts with Thumbnails