terça-feira, 28 de junho de 2011

"Quem conhece minha cabeça sou eu"

Concordo, mas não totalmente.

Um psicólogo recebeu formação para ajudar outras pessoas a identificarem padrões e modificar aqueles que atrapalham, coisa que, embora você conviva diariamente com isso, muitas vezes não sabe fazer (razão pela qual sofre com o problema).

Além disso, um profissional especializado consegue enxergar fatores que ajudam as dificuldades a se manterem e, com seu auxílio, esse ciclo pode ser quebrado. E, não adianta, quando estamos dentro do furacão, é muito mais difícil ter uma ideia real da dimensão da coisa.

Outro questão importante é que, muitas vezes, precisamos desenvolver ou fortalecer habilidades que não nos foram ensinadas, como organização, saber dizer "não" quando necessário, controlar impulsos e lidar com emoções. E, para isso, um "treinador" emocional e comportamental pode ser muito útil.

Então, chego à conclusão que você é a pessoa que tem o maior conhecimento sobre você mesmo e, ao unir isso às informações, técnicas e visão especializadas do psicólogo, surge uma maneira de se ver ainda mais clara e produtiva, desfazendo ciclos viciosos e fortalecendo seus pontos positivos.

Uma pergunta que sempre me faço é: por que ninguém chega nas consultas médicas e diz "não põe a mão aí porque quem conhece meu corpo sou eu??" (!)

Se alguém quiser arriscar uma resposta, sou toda ouvidos.

Ana Carolina Diethelm Kley
Para me adicionar no Facebook: Ana Kley
Para me adicionar no Twitter: @AnaDKley
Related Posts with Thumbnails