quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Como amenizar o foco no negativo

Quando falei sobre focar demais no negativo, meu objetivo foi chamar a atenção para este hábito que, por ser automático, pode ser visto como algo natural e "normal".

Normal até pode ser, porque é bastante comum, mas não é natural. Foi algo aprendido ao longo do tempo (pode ter certeza!)...Não vou me prender, hoje, a como isso aconteceu. Prefiro refletir sobre jeitos de amenizar essa tendência.

Da mesma maneira como as pessoas que tem miopia (ou seja, uma forma distorcida de enxergar as coisas), precisam de óculos, as pessoas que tem muito foco no negativo também precisam ajustar sua forma de valorizar o que acontece.

Valorizar, neste caso, inclui enxergar e dar o peso que as coisas positivas realmente tem, sem supervalorizá-las (como faria a Poliana) e nem desprezá-las.

Muitas coisas boas e positivas que fazemos e somos acabam passando batido pela ideia de que "isso não é mais que obrigação" (portanto, não tem validade nenhuma, não diz nada demais).

A questão é que tudo o que você faz, por mais que faça parte de alguma "obrigação", é escolha sua. Você escolhe ir trabalhar todo dia (mesmo sem tanta disposição, às vezes); fazer o melhor possível, ao invés de ficar o dia inteiro enrolando no Facebook; dar bom dia pras pessoas, ao invés de fechar a cara. É você quem escolhe respeitar o sinal de trânsito, ao invés de passar no vermelho; é sua escolha também dizer "bom dia, boa tarde, obrigado, por favor". São pequenas decisões diárias que produzem bons resultados ao longo do tempo. Por que não enxergá-los como ações relevantes, que tem sua importância?

"Ah, Ana, bobagem! Pra que levar isso em conta? É tudo tão pequeno!"

Caro leitor, são de passos pequenos que a vida cotidiana é feita. Mas, clichês à parte, vamos ver se estes atos passam pela prova do contrário. Já ouviu falar dela?

Funciona assim:  se você não fizesse alguma dessas coisas (chegar no horário no trabalho, fazer o melhor possível, dar bom dia para as pessoas, respeitar o sinal vermelho), isso seria notado? Teria consequências negativas? Seria visto como uma falta?

Se a resposta for sim, então, estamos diante de um erro. O contrário de erro só pode ser um acerto. Então, essas pequenas coisas são acertos que você pratica diariamente e que te ajudam a ter resultados ao longo dos seus dias e semanas (sejam eles incorporados à rotina, como um bom relacionamento com os colegas - influenciado pelos seus "bons dias"; ou mais aparentes, como ser promovido ou concluir um grande projeto).

Considerá-los como válidos e pertinentes pode te ajudar a ter uma visão mais realista a respeito do quanto você produz e de quem você é.  Pode até ajudar a aprender com seus erros, já que uma pessoa que se sente bem consigo, geralmente, tem mais disposição para olhar para as situações  e aprender com elas (quando nossa autoestima está enfraquecida, a tendência é ficar só se criticando, sem tirar muita coisa de proveitoso da situação). 

Se você achou a ideia interessante, que tal testar? 
Observação importante: tentativas também podem ser vistas como acertos já que elas, gradualmente, te levarão mais perto do que você quer. Fica a dica...

Ana Carolina Diethelm Kley
anacdkley@hotmail.com
Para me adicionar no Twitter: @AnaDKley

Related Posts with Thumbnails